Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Capital Inicial fez o melhor show do Rock in Rio até agora


Não é de hoje que Dinho Ouro Preto é o maior showman do rock nacional. Ele fala a linguagem da galera. Não esconde a imensa alegria que sente quando está no palco. Sabe ser benemérito, sem ser piegas e moralista, ao pedir água para quem passa mal, se preocupar com quem está na frente do palco e dedicar uma canção, "Como Devia Estar", a Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, que completaria 20 anos nesse sábado, 24 de setembro, e era fã de Red Hot Chili Peppers.
Mas muito mais do que isso, a banda sabe esbanjar vitalidade, escolher muito bem o setlist e mudar uma canção de acordo com o clima do espetáculo - saiu "Mulher de Fases", dos Raimundos, e entrou a "carne de vaca", como declarou Dinho, "Que País É Esse". Flávio Lemos, com baixo verde claro e chapéu de caubói, Felipe Lemos, na bateria, e Yves Passarell, na guitarra, são ótimos músicos e, junto com Dinho, sabem como poucos esquentar e domar um espetáculo de 100 mil vozes eufóricas.

No setlist, clássicos de todas as fases da carreira, da mais recente "Depois da Meia Noite" às longínquas canções punks do Aborto Elétrico, "Música Urbana", "Fátima" e ""Veraneio Vascaína", passando por outros sucessos como "Natasha", "Quatro Vezes Você" e "A Sua Maneira". Houve espaço até para uma versão de "Should I Stay Or Should I Go", que, no Rock in Rio de 2001, foi tocada por Ira! e Ultraje a Rigor. Portanto, dificilmente alguém conseguirá superar o efeito provocado pelo Capital Inicial. Que venham Red Hot Chili Peppers, Metallica, Stevie Wonder, Coldplay e Guns N'Roses.fonte
▲ Ir para Topo