Ultimas noticias

6/recent/ticker-posts
Aqui a notícia é prioridade


AKIAGORA

CLIQUE E VISITE NOSSOS PARCEIROS


AKIAGORA

AKIAGORA



AKIAGORA

ALIANÇAS PSD, MDB e União Brasil avaliam integrar base do governo Lula

 (Foto: Roque de Sá/ Agência Senado)
Foto: Roque de Sá/ Agência Senado
Por: Raphael Felice - Correio Braziliense
Lideranças de partidos do Congresso já começam a acenar ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva para integrar a base de apoio do novo governo. Um deles, o PSD, fará reunião de bancada na próxima terça-feira, com a presença do presidente da sigla, Gilberto Kassab, para definir se vai fechar com a nova gestão.

O líder do PSD no Senado, Otto Alencar (BA), avalia que há possibilidade de o partido se aliar ao governo. Reeleito em outubro com 4.218.333 votos, o parlamentar afirmou ao Correio que articula o apoio com a bancada.

O PSD tem, atualmente, 46 deputados e 12 senadores, incluído aí o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (MG). E o PT corre contra o tempo para conseguir aliados e aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição, com o objetivo de autorizar despesas fora do teto de gastos.

Na terça-feira, haverá uma reunião do presidente do PSD, Gilberto Kassab, com parlamentares. "Temos senadores que apoiaram Lula no primeiro turno. Tem (Carlos) Fávaro (MT), Omar Aziz (MT), eu, (Sérgio) Petecão (AC), Alexandre Silveira (MG), Daniela Ribeiro (PB). Também estou conversando com os senadores que não apoiaram", disse Alencar, em uma referência a Nelsinho Trad (MS) e Vanderlan Cardoso (GO).

Em entrevista à Folha de S. Paulo, na quinta-feira, Kassab condicionou a construção com Lula ao apoio do presidente eleito a "bons projetos do PSD", entre os quais, o aval à reeleição de Pacheco ao comando do Senado.

No União Brasil, o presidente da legenda, Luciano Bivar, já acenou à gestão petista e deve sentar à mesa com a cúpula do novo governo na próxima semana. Deputado federal por Pernambuco, ele já afirmou que não será "de jeito nenhum" oposição a Lula.

Bivar, cuja legenda tem 59 deputados federais, iniciou negociações para o partido brigar pela Presidência da Câmara. O xadrez em torno do cargo envolve, também, partidos que hoje formam o centrão aliado do presidente Jair Bolsonaro, como o PP — com Arthur Lira (AL), que busca a reeleição ao posto — e o Republicanos, com Marcos Pereira (SP).

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários