Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Uso do lego estimula aprendizado.

“Aprender fazendo”. Essa é a metodologia utilizada pela empresa paulista Zoom, que existe há 12 anos e representa a Lego Education no Brasil. A proposta da instituição é desenvolver a aprendizagem dos alunos de escolas brasileiras, através do uso de legos - peças que são feitas para montagem de objetos - de modo a estimular a capacidade de raciocínio e imaginação das crianças. Há oito anos, a Zoom começou a atuar em Pernambuco. No entanto, apenas em fevereiro deste ano, ela passou a existir como franquia, ganhando maior autonomia no Estado. Até então, mais de três mil escolas públicas e particulares do País já aderiram ao programa e, só em Pernambuco, mais de 2.500 alunos da rede privada de ensino utilizam a metodologia em sala de aula. 
Uma das instituições que já fazem uso do Aprender Fazendo é o Colégio Dourado, localizado em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Há dois anos em contato com essa técnica, os alunos são capazes de desenvolver habilidades e competências de forma lúdica. Conforme a coordenadora de robótica do colégio, Cláudia Dourado, a partir do segundo ano (primeira série do ensino fundamental), os estudantes já têm acesso aos kits que contêm as peças de lego. “Cada aluno recebe uma maletinha com todo o material, a depender do conteúdo específico para a idade deles. São quatro funções que eles (alunos) precisam desenvolver: construção, organização, apresentação e relatório. 
Nessas funções, eles utilizam o lego direta ou indiretamente”, explicou. Ainda de acordo com a docente, os assuntos abordados nas demais disciplinas, são trabalhados, também, nas aulas de robótica. “As histórias infantis, como Os Três Porquinhos, por exemplo, são relacionadas ao uso do brinquedo. O fato de os animais terem construído a casa deles é usado como analogia para que os alunos também construam os projetos nas aulas”, complementou.
A cada contato com os kits e com as revistas especializadas no assunto - que são fornecidos pela franquia -, as crianças de primeira à sétima série trabalham conteúdos de português, matemática, história, geografia e ciências. As formas de avaliação, segundo a coordenadora, ainda estão sendo estudadas pela escola, a fim de que as produções dos alunos também possam ser utilizadas para compor uma nota. 
Contudo, segundo a pedagoga e diretora da Zoom Lego em Pernambuco, Janaína Carvalho, o desempenho dos estudantes de todas as instituições de ensino já pode ser percebido claramente. “A gente sempre tem esse retorno dos educadores e, também, dos pais. Eles, de fato, notam uma melhora acadêmica, além da noção de trabalho em equipe, pois todas as atividades são em grupo”, contou. Janaína também relata que as crianças têm a oportunidade de construir os próprios objetos de estudo. “Quando eles estão aprendendo sobre o Sistema Solar, montam os planetas. Quando é sobre a terra, fazem sismógrafos, bombas d’água. Tudo relacionado ao assunto que estão estudando na sala de aula”, pontuou. Os professores também recebem assessoria da empresa no que se refere à forma de ministrar o conteúdo.
Da Folha de Pernambuco
▲ Ir para Topo