Ultimas noticias

6/recent/ticker-posts

banner no cabeçalho.

--ASSESSORIA E SUPORTE PUBLICITÁRIO PARA SUA EMPRESA E COMÉRCIO--


AKIAGORA

Clique na imagem e contate-nos


AKIAGORA

CASA DO AGRICULTOR

SAÚDE Vacinação com Coronavac para crianças de 3 a 5 anos começa em seis capitais



Foto: Helia Scheppa/SEI

Seis capitais começaram, ontem, a vacinação de crianças entre três e cinco anos de idade contra a covid-19, depois que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, em 13 de julho, o uso da CoronaVac para esse público. Fortaleza, São Luís, Belém, Boa Vista, Manaus e Salvador deram início às aplicações. A próxima capital a distribuir as doses é o Rio de Janeiro, que está previsto para amanhã.


Até então, a vacinação contra a covid-19 só estava autorizada para crianças a partir de cinco anos — o imunizante da Pfizer é o indicado para essa faixa. Segundo especialistas, o fármaco é totalmente seguro e necessário para proteger as crianças, que são mais suscetíveis a pegar a doença.


Segundo Bergmann Morais, professor do Departamento de Biologia da Universidade de Brasília (UnB), é fundamental que os pequeninos recebam as doses contra a covid-19. "Crianças e os idosos são a parte da população que está mais suscetível a pegar a infecção. As crianças estarão sempre mais suscetíveis porque elas ainda não têm a proteção necessária. É essencial que os pais levem as crianças para se vacinar", observou.


A CoronaVac deve ser administrada em duas doses, com 28 dias de intervalo, assim como é feito nas demais faixas de idade. Para liberar a aplicação da vacina produzida pelo Butantan para crianças entre três e cinco anos, a Anvisa se baseou em estudos realizados no Chile, na África do Sul e em países da Ásia onde o fármaco está sendo aplicado em crianças dessa idade.


Na avaliação de Bergmann Morais, caso a cobertura vacinal contra a covid-19 não atinja um alto índice, o vírus continuará circulando. Ele salienta que com as novas variantes do novo coronavírus, outras vacinas estão sendo estudadas.


"Tem um limite para se tomar doses de reforço. Nós ainda estamos vivendo uma pandemia. E as empresas já estão desenvolvendo novas vacinas para as variantes", observa.


Importância

Para Cláudio Maierovitch, médico sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), é importante que os pais levem as crianças da faixa 3-5 anos para serem imunizadas. "É importante que os pais saibam que as crianças também pegam covid-19. E que a doença pode ser grave e fatal, embora não seja tão frequente como nos idosos. Mas têm muitas crianças adoecendo e as UTIs estão lotadas", alerta.


Maierovitch considera que a precipitação na suspensão das medidas de prevenção deixou as crianças mais expostas. "Isso, além de ser uma faixa etária que tem dificuldade de usar máscara e que está sempre junto de outros coleguinhas", lembra.


Ele salienta que os pais não devem deixar de imunizar os filhos por receio de alguma reação adversa da vacina — como dizem mentiras que circulam em aplicativos de mensagens. "É importante os pais desconsiderarem informações falsas que são enviadas pelo WhatsApp e pelas redes sociais, que trazem confusão e geram dúvida a respeito da eficácia da vacina. Os efeitos adversos da CoronaVac são poucos e a vacina é segura", afirmou.
Por: Isabel Dourado - Correio Braziliense

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários