Ultimas noticias

6/recent/ticker-posts

banner no cabeçalho.

--ASSESSORIA E SUPORTE PUBLICITÁRIO PARA SUA EMPRESA E COMÉRCIO--


AKIAGORA

Clique na imagem e contate-nos


AKIAGORA

CASA DO AGRICULTOR

RIO DE JANEIRO Com 19 mortos, operação no Alemão é a quarta mais letal da história



Foto: MAURO PIMENTEL / AFP

Em um intervalo de apenas 14 meses, o Rio de Janeiro registrou três das quatro operações mais letais da história da cidade. A última foi nesta quinta-feira (21/7), quando 19 pessoas terminaram mortas durante uma operação policial no Complexo do Alemão. A operação empatou com a terceira mais letal da história do Rio. A 19ª morte, uma moradora identificada como Solange Martins, foi confirmada na manhã sexta (22/7).


As duas primeiras ações policiais que terminaram com mais mortos ocorreram em um espaço de tempo de apenas um ano. A primeira no Jacarezinho, Zona Norte do Rio, em maio do ano passado, quando 28 pessoas foram mortas. Somente um dos casos foi a julgamento. Os policiais civis Douglas de Lucena Peixoto Siqueira e Anderson Silveira Pereira foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) pela morte de Omar Pereira da Silva. O julgamento começou no fim de junho.



Um ano depois, em maio deste ano, uma operação na Vila Cruzeiro, também na Zona Norte da cidade, terminou com 25 mortos. A ação se tornou a segunda mais letal da história do Rio.


Já nesta quinta, 18 pessoas morreram durante a operação no Complexo do Alemão, um dos maiores conjuntos de favela do Rio. Entre os mortos estão uma mulher, um policial e 16 suspeitos. Esta está sendo considerada a operação mais violenta no Alemão desde a ocupação da comunidade, em 2010.


Ao todo, as três operações que ocorreram em pouco mais de um ano terminaram com 71 mortos. Além das três operações que ocorreram no Rio desde 2021, uma ação no Complexo do Alemão em junho de 2007 terminou com 19 mortos e é a terceira da história com mais mortos. Juntas as quatros operações, todas na Zona Norte da cidade, somam 90 mortos.


Segundo dados divulgados pelo Instituto Fogo Cruzado nesta quinta, somente a Baixada Fluminense concentrou 481 tiroteios no primeiro semestre de 2022 e quase um terço dos registros ocorreram durante ações ou operações policiais, um aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano passado. Neste tempo, 289 pessoas foram baleadas na região, sendo que 169 morreram e 120 ficaram feridas. Entre as ocorrências, 198 foram atingidas durante operações policiais, sendo 100 mortas e 98 feridas.
Por: Thays Martins - Correio Braziliense

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários