Ultimas noticias

6/recent/ticker-posts

banner no cabeçalho.

--ASSESSORIA E SUPORTE PUBLICITÁRIO PARA SUA EMPRESA E COMÉRCIO--


AKIAGORA

Clique na imagem e contate-nos


AKIAGORA

CASA DO AGRICULTOR

Mundo: “Situação pode sair do controle rapidamente”, alerta Biden a americanos na Ucrânia

O presidente Joe Biden pediu, nesta quinta-feira (10), que os norte-americanos na Ucrânia deixem o país imediatamente, alertando que “as coisas podem sair do controle rapidamente” na região.

“Os cidadãos americanos devem sair agora”, disse Biden em uma entrevista que foi gravada na quinta-feira com Lester Holt, da NBC News.

Referindo-se à Rússia, que acumulou tropas em sua fronteira com a Ucrânia, Biden disse: “Não é como se estivéssemos lidando com uma organização terrorista. Estamos lidando com um dos maiores exércitos do mundo. É uma situação muito diferente e as coisas podem enlouquecer rapidamente.”

Biden disse, durante sua entrevista à NBC, que “não há” uma situação que possa levá-lo a enviar tropas dos EUA para resgatar americanos que tentam sair da Ucrânia, acrescentando: “Essa é uma guerra mundial quando os americanos e a Rússia começam a atirar um no outro”.

Se o presidente russo, Vladimir Putin, é “tolo o suficiente para entrar, ele é inteligente o suficiente para não fazer nada que possa impactar negativamente os cidadãos americanos”, acrescentou Biden.

A Casa Branca aprovou um plano para os quase 2.000 soldados americanos na Polônia para ajudar os americanos que podem tentar evacuar a Ucrânia se a Rússia invadir, de acordo com duas autoridades americanas familiarizadas com o assunto.

As forças dos EUA não estão atualmente autorizadas a entrar na Ucrânia se uma guerra estourar, e não há planos para eles conduzirem uma operação de evacuação de não combatentes semelhante à operação dos EUA no Afeganistão no verão passado.

Em vez disso, o plano atual é que as tropas, que são da 82ª Divisão Aerotransportada, comecem a montar áreas de processamento e abrigos temporários dentro da Polônia, perto da fronteira com a Ucrânia, onde os americanos que fogem do país podem pedir ajuda enquanto estiverem em trânsito. As instalações ainda não foram montadas, disse um oficial de defesa, mas começarão a ficar assim à medida que mais tropas americanas chegarem à Polônia.

O Departamento de Estado dos EUA repetiu na quinta-feira seu alerta, dizendo que os americanos não devem viajar para a Ucrânia “devido ao aumento das ameaças de ação militar russa” e pediu aos que estão no país para partirem imediatamente.

O comunicado disse aos cidadãos americanos na Ucrânia que “estejam cientes de que o governo dos EUA não poderá evacuar cidadãos americanos no caso de ação militar russa em qualquer lugar da Ucrânia”.

No final de janeiro, o Departamento de Estado autorizou a saída de pessoal não emergencial da Embaixada dos EUA em Kiev e ordenou que os familiares deixassem o país.

Os EUA estimam que a Rússia tenha mais de 100.000 soldados perto da fronteira com a Ucrânia, com milhares adicionados apenas esta semana, de acordo com um funcionário do governo.

Biden deve falar na sexta-feira com líderes europeus e da Otan sobre o acúmulo de tropas russas perto da Ucrânia, de acordo com uma pessoa familiarizada com os planos.

A ligação conjunta com os líderes da França, Reino Unido, Itália, Alemanha e outros lugares ocorre no momento em que as nações ocidentais procuram vias diplomáticas para neutralizar a crise.

Biden conversou na quarta-feira com o presidente francês Emmanuel Macron sobre os esforços diplomáticos de Macron em Moscou com Putin. E o principal general militar dos EUA, o general Mark Milley, presidente do Joint Chiefs, também entrou em contato com vários de seus colegas no exterior sobre a situação nesta semana.

Milley conversou com o tenente-general Valery Zaluzhny, seu colega ucraniano, na quinta-feira, para discutir o ambiente de segurança na Europa, de acordo com uma leitura da ligação. Foi a segunda conversa deles esta semana.

Na quinta-feira, Milley também conversou com seu colega na Bielorrússia pela primeira vez, entre as duas ligações para a Ucrânia.

Rússia e Bielorrússia iniciaram 10 dias de exercícios militares conjuntos na quinta-feira, em meio a esforços diplomáticos para neutralizar a crise devido a temores de que a Rússia esteja planejando uma incursão em território ucraniano.

Milley tentou “reduzir as chances de erro de cálculo” em sua ligação com o general bielorrusso Viktor Gulevich, de acordo com uma leitura. Milley também conversou com seu colega britânico na quinta-feira.

CNN

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários