---------------------------------------------------------

*******Clique na imagem e visite os melhores do ano em Gravatá.*******

Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Vem pra cá e saia montado.

Edital do concurso da PRF sairá este mês

Reta final para quem está se preparando para o concurso da PRF 2018 (Polícia Rodoviária Federal). Isso porque o edital com 500 vagas de policial rodoviário sairá até o fim de agosto. Pelo menos esta é a expectativa da corporação, que recebeu a autorização governamental para abertura do concurso no dia 27 de julho.
O que tornará possível a abertura do concurso ainda este mês é o fato de a PRF já possuir uma minuta do edital pronta desde o fim de 2016, quando a autorização começou a ser especulada. O objetivo da corporação era justamente o de agilizar ao máximo a abertura do concurso quando ele, enfim, fosse liberado pelo governo.
O último entrave antes da publicação do edital é a contratação da empresa que ficará responsável pela organização do processo seletivo, o que deve acontecer já nos próximos dias.

Sobre o cargo de policial rodoviário

Para se tornar policial rodoviário é necessário possuir formação de nível superior (em qualquer área), além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais.
Atualmente, o salário oferecido é de R$ 9.931,57, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458. No entanto, já há um reajuste previsto para janeiro de 2019, quando os servidores passarão a receber R$ 10.357,88.
Um policial da PRF é responsável por desenvolver atividades de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Concurso anterior

Organizada pelo Cespe/UnB, a última seleção da PRF para policial rodoviário foi realizada em 2013 e, portanto, já teve seu prazo de validade encerrado, impossibilitando a corporação de repor seu quadro de servidores.
Na época, a oferta foi de 1.000 vagas, disputadas por nada menos que 109.769 candidatos, que passaram por prova objetiva, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.
A prova objetiva foi composta por 120 questões sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público, noções de informática, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direitos humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.

Clique e visite as melhores empresas de Gravatá..


▲ Ir para Topo