Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Auditores do Recife mantêm paralisação de serviços aos contribuintes.

Em greve por tempo indeterminado desde o dia 15, os Fazendários do Recife continuam a paralisação de inúmeros serviços na Prefeitura do Recife (PCR). Eles vão continuar sem atender aos contribuintes com os serviços de IPTU, ITBI, CIM, taxas, alvará, habite-se, certidão negativa, processos fiscais de baixa, além restituição, autorização de emissão de empenhos (fornecedores da Prefeitura do Recife), julgamentos de processos fiscais nas 1ª e 2ª instâncias, nota fiscal avulsa e autorização de talão de nota fiscal, entre outros. Por outro lado, eles manterão os serviços, como por exemplo, a emissão de certidões negativas, porém no prazo legal de 10 dias.

Até agora não houve acordo e os Fazendários confirmaram em assembleia que não aceitam o percentual de 3%, apresentado pela gestão de João da Costa. “A categoria não irá admitir receber um reajuste menor que a inflação, calculada em março de 2010 e abril deste ano pelo IPCA em 7,67%”, informou Alexandre Feitosa, presidente do Sindicato dos Fazendários do Recife (Afrem Sindical). A maioria dos sindicatos estão em estado de greve desde o início de junho. O Fórum de Servidores está propondo 12,74%.

Ao avaliar o Relatório de Gestão Fiscal da gestão de João da Costa, Feitosa argumentou que a diferença entre o que foi investido no quadrimestre e o que é possível pela Lei de Responsabilidade Fiscal, até o limite prudencial, é de R$ 156 milhões. “A PCR tem condições de conceder esse aumento aos servidores. Sabemos que algumas despesas são com cargos comissionados, contratos temporários e até hoje não foi apresentado para o conjunto dos servidores esses dados”.

Ele disse que o índice alto de terceirização é histórico e que a PCR precisa reduzir essa despesa e investir no funcionalismo público. “O investimento nos servidores da casa continua sendo um pedido histórico do Fórum de Servidores”.

▲ Ir para Topo