Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Mundo:Sobe para 11 os mortos por bactéria intestinal na Alemanha.

Berlim - O surto de um variante da bactéria intestinal "E. coli Enterohemorrágica" causou mais um óbito na Alemanha, o 11º, informaram nesta segunda-feira as autoridades do distrito de Paderborn, no estado federado da Renânia do Norte-Vestfália.

A nova vítima é uma mulher de 91 anos, da cidade de Paderborn, a primeira nesse estado federado no oeste do país.

Na última sexta-feira, o número de mortos pela síndrome hemolítica-umérica (SUH), provocada por este germe somava seis. No fim de semana, no entanto, aumentou para dez, todos no norte da Alemanha.

Enquanto isso, os casos de infecção pela bactéria intestinal já chegam a 1,2 mil, informou o Instituto Robert Koch de Berlim.

Ao menos 120 pessoas estão infectados pelo SUH, patologia que caracteriza-se por insuficiência renal, anemia hemolítica microangiopática, trombocitopenia (redução de plaquetas no sangue), defeitos da coagulação e sinais neurológicos variáveis.

O Instituto de Medicina de Hannover informou que o tratamento com o anticorpo Eculizumab, ao qual foram submetidos os pacientes infectados com a perigosa variante da bactéria intestinal, está dando resultados.

Nesta tarde está prevista uma reunião com representantes do Governo federal, dos estados federados e das autoridades sanitárias e de proteção ao consumidor no Instituto Robert Koch de Berlim para abordar a situação.

Em declarações à emissora "RBB-Inforadio", o diretor do instituto, Reinhard Burger, fez nesta segunda-feira um novo chamado à população para não consumir verduras sem cozimento.

Disse entender a preocupação dos agricultores alemães, que se viram obrigados a destruir verduras - principalmente tomates, pepinos e alfaces - avaliadas em 2 milhões de euros ao dia diante da impossibilidade de vendê-las ao mercado, mas acrescentou que "a proteção da saúde da população é prioritária".

O foco infeccioso foi detectado após a análise em quatro pepinos (entre outras verduras) escolhidos aleatoriamente do mercado central de Hamburgo, dos quais três procediam da Espanha - um deles de cultivo biológico - e o outro da Holanda, segundo apontaram na sexta-feira a imprensa local.

Fonte: Agência EFE 
▲ Ir para Topo