Facebook anuncia Messenger Rooms: até 50 pessoas numa mesma videoconferência



O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou durante uma transmissão ao vivo um novo conjunto de ferramentas para expandir a capacidade da plataforma Facebook Messenger de fazer chamadas de vídeo para um número maior de participantes. Com o Messenger Rooms, o Facebook amplia para até 5 pessoas na mesma chamada, uma forma de ganhar mais espaço entre as ferramentas que permitem múltiplas pessoas na mesma sessão, como o Zoom e Houseparty.
O anúncio chega poucos dias após o Facebook confirmar que o número de participantes numa mesma chamada de vídeo no WhatsApp saltou de 4 para 8. A decisão de ampliar a capacidade de vídeo dessas plataformas se sustenta nos números: segundo o Facebook, 700 milhões de contas do WhatsApp e Messenger fazem chamadas todos os dias.
Além de permitir que até 50 pessoas participem de uma mesma chamada, o Messenger Rooms também inaugura uma possibilidade até então inexistente com o messenger: é possível participar da chamada sem a necessidade de uma conta no Facebook. O acesso é realizado através de um link que dá acesso a sala.
O criador de uma sala escolhe quem pode vê-lo e se juntar a ele e pode remover qualquer pessoa da conversa a qualquer momento, além de poder bloquear a sala se não quiser que outra pessoa entre. Todos podem obviamente deixar uma sala a qualquer momento. As salas criadas por meio de um grupo do Facebook são abertas por padrão para os membros desse grupo. As salas podem ser compartilhadas a partir do feed, grupos e eventos, para que facilite a participação de outras pessoas. 
A sala do Messenger não é criptografada de ponta a ponta, o que não é uma tarefa fácil, considerando o grande número de participantes. No entanto, o Facebook diz que está trabalhando ativamente nessa questão. Enquanto isso, o conteúdo das salas é criptografado entre os participantes com servidores – enfatiza o Facebook – “colocados apenas em países com um forte estado de direito”.
Em relação a privacidade do usuário contra o próprio Facebook, envolvido em diversos casos que provaram uma má administração da empresa nesse sentido, a companhia explica que, da mesma maneira que em outras partes do Facebook, “coletamos dados do Rooms, para fornecer o serviço e melhorar a experiência do produto. No entanto, áudio e vídeo das Rooms não serão usados para anúncios, e nem iremos mostrar anúncios nas Rooms. “Criamos o Rooms pensando em privacidade e segurança, para que você se sinta confortável em se conectar com seus amigos, familiares e comunidades”, disse Stan Chudnovsky, chefe do Facebook Messenger.
O Messenger Rooms já começou a ser disponibilizado nos EUA. Ainda não há uma preisão de lançamento no Brasil.

Postar um comentário

0 Comentários

AKIAGORA