Em áudio, Carla Zambelli diz que governo liberou verba para aprovar Previdência


Em áudio compartilhado nas redes sociais neste sábado (18.jan.2019), a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) sugere que o Planalto teria liberado recursos exclusivamente a deputados que votaram favoravelmente à reforma da Previdência –aprovada em agosto pela Câmara. A deputada confirmou que a voz da gravação é dela, mas negou que houve compra de votos (leia manifestação mais abaixo).
“Infelizmente, o deputado no 1º mandato não tem verba. É meu 1º ano de mandato. Só consegui essa verba e indiquei mais R$ 5 milhões para a saúde do Estado porque houve uma verba suplementar por conta da reforma da Previdência. Então, todos os deputados que votaram a favor da reforma da Previdência tiveram alguma verba que poderiam tirar de alguns ministérios para poder mandar para alguma cidade”, diz a deputada no áudio.
A deputada Sâmia Bomfim (Psol-SP) foi uma das pessoas que compartilharam o conteúdo.
Antes de o pacote de alterações nas regras para a aposentadoria ser votado pela Câmara dos Deputados, 1 levantamento da ONG Contas Abertas mostrou que, nos primeiros 5 dias de julho, foram empenhados pelo governo R$ 2,55 bilhões em emendas a congressistas.
Segundo a publicação, a cifra é maior do que a observada em todo o ano até junho (R$ 1,77 bilhão). O valor também é o mais alto empenhado para meses de julho ao menos desde 2016. As emendas são recursos que os congressistas têm direito no Orçamento para fazer obras e investimentos nos Estados e municípios.
A reforma foi aprovada definitivamente pelo Senado em outubro e considerada a maior vitória do governo no Congresso no ano passado. Mas até o fim de 2019, o governo era cobrado pelos congressistas pela liberação das verbas prometidas durante a aprovação do projeto das aposentadorias.
Em mensagem enviada à reportagem do Poder360, Carla Zambelli disse que a verba mencionada no áudio foi “distribuída naturalmente para a base do governo” e defendeu que “isso não tem nada a ver com compra de votos“. Leia a manifestação abaixo:
“Comprar voto significa pedir para votar em uma coisa e, em troca, dar dinheiro para a pessoa colocar no próprio bolso. Outra coisa completamente diferente é uma verba estar disponível para vários parlamentares na época da Previdência e essa verba ser distribuída naturalmente para a base do governo. Isso não tem nada a ver com compra de votos, porque nenhum centavo veio para o meu bolso. Muito pelo contrário. Justamente, eu estava explicando naquele áudio que eu indiquei a Santa Casa de São Carlos para receber uma verba e eles não receberam.”
OUÇA O ÁUDIO CLICANDO AQUI


Postar um comentário

0 Comentários

AKIAGORA