Pesquise aqui.

A maior velocidade!


Exercitando a misericórdia de Deus...


Quando não exercitamos a fé, deixando-nos dominar pelo medo, estamos, na verdade, desprezando a misericórdia de Deus. Romper com Deus é uma grande ingratidão. É violar livremente um tratado, pois os compromissos que tomamos com Jesus são solenes, sagrados e eternos. E por que isso acontece? 
O desânimo, a preocupação, a falta de fé são grandes responsáveis por abandonarmos sua misericórdia. E o Senhor sabe disso. Não foi à toa que Cristo nos ensinou a pedir o pão de cada dia, o perdão pelas ofensas, a vitória sobre a tentação e o livramento do mal. Ele conhece os nossos temores, ansiedades, fraquezas e necessidades.
Deus está, desde o princípio dos tempos, estendendo sua mão para a humanidade. Mas o homem, a cada dia que passa parece estar repelindo mais e mais essa graça, esse favor, rejeitando as dádivas de Deus, para satisfazer as próprias vontades.
Se a cada momento de dúvida, refletíssemos sobre a obra que Deus empreendeu para o nosso resgate, essa dúvida se transformaria em infinitas ações de graças.
Mas outro modo, igualmente perigoso, de desprezarmos a misericórdia do Pai é, em vez de termos medo ou nos sentirmos derrotados, confiarmos apenas em nossas próprias virtudes, na vida honesta que levamos, achando que somos os “reis da cocada preta”.
Somos vitoriosos, sim, somos escolhidos, mas tudo isso nos é dado pela graça. Deus não cansa de nos esperar, mesmo quando não confiamos ou quando nos debatemos para largar seus braços e deixamos de nos importar com seus benefícios.
Fonte:
Artigo extraído do livro: Se Deus é Por Nós..., autoria: Wellington Silva Jardim, editora: Canção Nova, 2006 - 6ª edição.
▲ Ir para Topo