Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Concerto da Orquestra Sinfônica abre São João do Recife.

A festa de São João começa na próxima quarta (8), no Teatro Luiz Mendonça. Quem comanda a evocação a São João dos Carneirinhos é a Orquestra Sinfônica do Recife, que se apresenta ás 20h. A entrada no teatro será gratuita.

O concerto especialmente preparado para a ocasião, traz as participações dos homenageados do São João do Recife 2011 - a forrozeira Terezinha do Acordeon, grande representante feminina da tradição da sanfona, e o Quinteto Violado, grupo que comemora 40 anos de trajetória artística.

Sob a regência do maestro Osman Giuseppe Gioia, a OSR convida o público a viajar nas tradições nordestinas por meio dos seus arranjos eruditos. O repertório selecionado para a noite traz canções como “Disparada” (Geraldo Vandré e Théo de Barros), “Hora de Lutar” (Geraldo Vandré) e “Canção da Despedida” (Geraldo Azevedo e Geraldo Vandré), com arranjos de Nilson Lopes, “Cavalo Marinho” (Quinteto Violado), com arranjo inédito de Ruriá Duprat, o grande clássico “Asa Branca” (Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga), entre outras.

Ciclo Junino – O São João promovido pela Prefeitura do Recife mais uma vez reafirma os legítimos valores da cultura nordestina, celebrando o sagrado e o profano numa grande festa popular por toda a cidade. Este ano, são seis polos de animação, com a inclusão do Parque Dona Lindu, em Boa Viagem.

Além do Parque Dona Lindu, a festa contará com os já conhecidos polos do Sítio Trindade, Pátio de São Pedro, Praça Arsenal da Marinha, Rua da Tomazina e Nascedouro de Peixinhos. Seguindo a política de descentralização cultural, a Prefeitura do Recife ainda apoia 18 polinhos comunitários e 14 arraiais nas regiões político-administrativas (RPAs).

Durante 22 dias de festa, a programação preparada pela Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura Cidade do Recife valoriza o autêntico forró e o talento dos músicos regionais, o bailado das quadrilhas juninas, a religiosidade das procissões e o sabor marcante da culinária típica. A festa conta com 355 artistas, concursos de quadrilhas, Caravana do Forró com shows itinerantes na Forrovioca, cidade cenográfica, brincadeiras e adivinhações populares para o público infantil, Mostra de Culinária Afro, Desfile das Bandeiras e Procissão dos Santos Juninos.

Atrações musicais - A programação de shows reúne grandes nomes da música nordestina de diversas gerações como Jorge de Altinho, Genival Lacerda, Alcymar Monteiro, Azulão, Santanna, Camarão, Arlindo dos 8 Baixos,Flávio José, Paulinho Leite, Cristina Amaral, Irah Caldeira, Alceu Valença, Moraes Moreira, Geraldo Azevedo, Xangai, Luciano Magno, Coco Raízes de Arcoverde, Flávio Leandro, Nando Cordel, Novinho da Paraíba, Nádia Maia, Maciel Melo, Geraldinho Lins, Agostinho do Acordeon, Josildo Sá, João Silva, Cascabulho, Quarteto Olinda, Rabecado, Siba e a Fuloresta, Silvério Pessoa, Maciel Salu, Bongar, Pandeiro do Mestre, entre outros.

HOMENAGEADOS
Terezinha do Acordeon - Com sete álbuns gravados, Terezinha do Acordeon simboliza a força feminina de um gênero musical que não perde a capacidade de se reinventar. Na sua trajetória artística, dividiu o palco com grandes nomes do forró como Dominguinhos, Quinteto Violado, Nando Cordel e Elba Ramalho.

Nascida na cidade de Barbalha, no Ceará, em  15 de julho de 1950, Terezinha Bezerra Chaves foi criada em Salgueiro, em Pernambuco, onde passou a morar com menos de um ano de idade. Foram nas noites de forró no Engenho do Sítio Icós, pertencente ao seu avô materno, que começou a observar o toque da sanfona. Aos dez anos de idade, Terezinha ganhou a permissão do sanfoneiro Antônio Mandu para manusear uma pequena sanfona de 48 baixos, ponto de partida para sua carreira musical.

Aos 14 anos, Terezinha já ganhava os primeiros cachês, tocando no conjunto Os Cometas. Aos 20 anos, casou e acabou se afastando da música. Doze anos depois, retomou ao grande amor pela sanfona e voltou a tocar. Como jamais se conformou apenas com a condição de sanfoneira, nos anos 80, Terezinha do Acordeon levantou a bandeira do forró pé-de-serra. Foi fundadora da primeira Associação dos Trios de Pé-de-Serra de Pernambuco, da primeira Orquestra Sanfônica de Pernambuco, do Bloco Sanfona do Povo e do grupo musical feminino Karolinas com K.

Quinteto Violado - Em 2011, o grupo comemora 40 anos de carreira com uma identidade sonora consolidada, que conquistou admiradores pelo Brasil e pelo mundo. Para comemorar, o grupo lança este ano o projeto Lá Vêm os Violados: Quinteto Violado 40 Anos, que inclui um livro (escrito pelo jornalista pernambucano José Telles), CD, DVD e a realização de shows e exposição iconográfica.

Surgido em 1971 com foco na música regional e na valorização da cultura musical brasileira, o Quinteto Violado reúne as sonoridades do contrabaixo, violão, viola, flauta, teclado, percussão e vozes. Nas quatro décadas de trajetória artística, o grupo gravou 37 álbuns, além de compilações e projetos especiais. Inspirado numa filosofia mambembe de peregrinação, o Quinteto Violado percorreu o país para a realização de shows, acumulando mais de um milhão de quilômetros rodados em estradas. Desta forma, promoveu intensos diálogos artísticos, despertando o interesse de variadas plateias.

Serviço:
Concerto de Abertura do São João 2011
Orquestra Sinfônica do Recife com participação de Terezinha do Acordeon
e  Quinteto Violado
Quando: dia 8 de junho
Onde: Teatro Luiz Mendoça
Horário: 20h
Entrada gratuita
Com informações da assessoria
▲ Ir para Topo