Pesquise aqui.

A maior velocidade!

Obs: essa matéria é repetida devido a sua importâncis:Dia Mundial sem Tabaco no Recife terá ação voltada para crianças.

O dia 31 de maio é considerado pela Organização Mundial de Saúde como "O Dia Mundial Sem Tabaco". O consumo de cigarro é um dos maiores fatores de risco para as doenças cardiovasculares, por isso a Sociedade Brasileira de Cardiologia se engajou nesta luta e tem promovido campanhas e ações especiais voltadas para o combate ao tabaco.
Este ano, a regional da SBC em Pernambuco planeja um dia de atividades junto à população para esclarecer dúvidas e incentivar o abandono do uso do cigarro. Para isso, a SBC nacional produziu a cartilha “Um dia sem fumar é um dia a mais de saúde”, que, de forma divertida e bem humorada, mostra os benefícios de deixar de fumar, curiosidades, dicas para não desistir e para dar o primeiro passo.

O alvo serão as crianças. Com esse material os integrantes da SBC-PE estarão abordando crianças, entre 8 e 10 anos, em duas escolas da rede pública estadual, no Recife, na próxima terça-feira, pela manhã, das 7h30 às 10h.
São elas: José Vilela, localizada na Estrada do Encanamento, e João Alfredo, na Ilha do Leite. Segundo o cardiologista Emmanuel de Abreu, da SBC-PE e representante da Funcor em Pernambuco, pesquisas mostram que as crianças começam a fumar quando têm entre 8 e 13 anos.
Fique por dentro

O tabagismo é a principal causa evitável de doença e morte em todo o mundo. Um terço da população mundial adulta – cerca de 1,3 bilhão de pessoas – fuma. No Brasil, pesquisa realizada recentemente pelo Ministério da Saúde, por meio do Instituto Nacional de Câncer (Inca), indica que 18,8% da população brasileira é fumante (22,7% dos homens e 16% das mulheres).
Para o ano de 2020, a perspectiva de mortalidade é de 3 milhões em países desenvolvidos e de 7 milhões em países em desenvolvimento, isto significa 10 milhões de mortes ligadas ao uso do tabaco no ano de 2020. Também segundo a OMS, o tabaco mata mais que a soma de mortes por AIDS, cocaína, heroína, álcool, suicídio e acidentes de trânsito.
Com informações da assessoria
▲ Ir para Topo